Coroatá

Luís Filho será julgado por usar a “força” do Estado para conseguir votos

08 NOV 2017 | 05h05

O prefeito de Coroatá, Luís da Amovelar Filho, e seu vice, Domingos Alberto, serão julgados no dia 21 de novembro e 12 de dezembro, acusados de usar a ‘máquina’ do Estado de forma ilegal para conseguir votos para as eleições de 2016. A ação também envolve um suposto abuso de poder praticado pelo Governador Flávio Dino através de seus secretários de estado Jefferson Portela e Marcio Jerry.

Prefeito de Coroatá Luis da Amovelar Filho

A primeira das duas audiências de oitiva acontece em São Luís, uma vez que as testemunhas são da capital. Já no dia 12 de dezembro será realizado no município de Coroatá.

As acusações iniciaram após uma “queda de braço” entre o Governo do Estado e a ex gestão municipal. Na época, a prefeitura tentou impedir que o bairro da União continuasse a receber asfalto, apresentando supostas irregularidades com a empresa responsável pela obra. Já o Estado desmentiu a informação e enviou forças policias vinda da capital para que dessem continuidade aos trabalhos. No fim, as ruas do bairro ganharam a camada asfáltica, mas era só o começo de uma guerra tenaz.

Abaixo você pode relembrar [em vídeo] todo o conflito que gerou a base das acusações para o processo que chega em seus últimos capítulos.





Comentário

PUBLICIDADE


Mais lidas








PUBLICIDADE

Enquete

"Mandar nudes" em aplicativos de relacionamentos reforça a ideia de que vale tudo para conquistar alguém?

2016 © Todos os Direitos Reservados