Política

Segurança pública é destaque durante sessão na Câmara de Coroatá

06 ABR 2017 | 22h43

Os recentes homicídios registrados no último sábado (01) foram destaque durante sessão na Câmara Municipal de Coroatá realizada nesta quinta-feira (06). Parlamentares comentaram no pequeno expediente sobre a segurança pública, como foi o caso dos vereadores Zé Branco, Junior Buhatem e Prof. Reginaldo. Confira a seguir:

Zé Branco (PSDC)

“Todos nós sabemos como está a situação de Coroatá. Quando estou na rua as pessoas perguntam várias coisas, falam porque não vem mais policiais, delegado, mas o problema não é esse. Não podemos culpar o delegado porque ele tá ai praticamente só, sem possibilidade de fazer muita coisa. Não há contingente que atenda nossa cidade. O defeito está no governo que sabe a realizada e não faz nada para mudar isso”.

Junior Buhatem (PMDB)

“É o assunto que está sendo mais discutido em Coroatá e é o que mais está atingido as vidas dos coroataenses. Todo carnaval é natural o gestor pedir apoio policial porque é uma festa que acumula muitas pessoas em um determinado local. Mas não pode se resumir só a uma festa. Houve diversas promessas, inclusive do Secretário de Segurança, mas não teve nada disso. Nossa cidade precisa de mais efetivo policial, precisa de um maior suporte do Estado. Acompanhamos no último sábado um jovem trabalhador, de 18 anos apenas, morrer de graça, sem ter feito nada. Lamentável”.

Prof. Reginaldo (PSC)

“Nós sabemos que segurança pública é responsabilidade do Governo do Estado e o que temos visto em Coroatá, por parte do estado do Maranhão, é um total descaso quanto à segurança. Estamos ainda no início do ano, tudo bem que não sei precisar os dados, mas eu creio que estamos com quase 20 homicídios. Isso é um absurdo. Três vidas foram ceifadas em um final de semana, são vidas, não voltam mais, espero que essa reunião com o Secretário de Segurança possa trazer resultados”.



Comentário

PUBLICIDADE


Mais lidas








PUBLICIDADE

Enquete

"Sensualizar" em redes sociais é uma forma de incentivo a vulgarização?

2016 © Todos os Direitos Reservados