Domingo, 24 de Outubro de 2021
(99) 98535-1531
Coluna Saúde

12 sintomas que podem indicar um derrame ou AVC (e o que fazer)

O acidente vascular cerebral (AVC) pode surgir de uma hora para outra, e dependendo da parte do cérebro que é afetada manifestam-se de forma diferente.

07/10/2021 21h37
Por: Jairo Rocha

Os sintomas de um acidente vascular cerebral (AVC), também conhecido como derrame ou AVE, podem surgir de uma hora para outra, e dependendo da parte do cérebro que é afetada manifestam-se de forma diferente.

Porém, existem alguns sintomas que podem ajudar a identificar este problema rapidamente, como:

  1. Dor de cabeça intensa que surge de repente;
  2. Falta de força num lado do corpo, que é visível no braço ou na perna;
  3. Rosto assimétrico, com boca torta e sobrancelha caída;
  4. Fala embolada, lenta ou com um tom de voz muito baixo e muitas vezes imperceptível;
  5. Perda da sensibilidade de uma parte do corpo, não identificando o frio ou calor, por exemplo;
  6. Dificuldade em permanecer de pé ou ficar sentado, pois o corpo cai para um dos lados, não conseguindo andar ou ficar arrastando uma das pernas;
  7. Alterações da visão, como perda parcial da visão ou visão embaçada;
  8. Dificuldade para levantar o braço ou segurar objetos, pois o braço fica caído;
  9. Movimentos incomuns e descontrolados, como tremores;
  10. Sonolência ou mesmo perda de consciência;
  11. Perda de memória e confusão mental, não sendo capaz de realizar ordens simples, como abrir os olhos e, podendo ficar agressivo e não saber referir a data ou o seu nome, por exemplo;
  12. Náuseas e vômitos.

O que fazer em caso de suspeita

Em caso de suspeita de estar ocorrendo um AVC deve-se fazer o exame SAMU, que consiste em:

Geralmente, as pessoas que estão sofrendo um AVC não conseguem realizar as ações pedidas neste teste. Assim, caso isso aconteça, deve-se deitar a vítima de lado em um local seguro e chamar o SAMU ligando para 192.

Com a pandemia, devo mesmo ir ao pronto-socorro para um atendimento de AVC?

Em tempos de pandemia, a velocidade de atendimento ao AVC torna-se ainda mais preocupante, pois muita gente retarda a ida ao pronto-socorro. É observado uma redução do número de casos a nível hospitalar porem não quer dizer que houve uma redução no número de casos.

ATENÇÃO - A demora em buscar atendimento médico impacta o resultado do tratamento, aumentando o risco de sequelas e até de morte. Diante dos sinais do AVC não hesite em procurar um serviço de urgência, mesmo durante a pandemia.

Dá para prevenir o AVC?

Sim. Uma pesquisa realizada com 30 mil pacientes do mundo todo comprovou que o acidente vascular cerebral não tem nada de ‘acidente’. Segundo o estudo, 92% dos AVCs estão associados a 10 fatores de riscos, todos evitáveis ou controláveis:

  • Pressão alta
  • Tabagismo
  • Obesidade
  • Sedentarismo
  • Dieta inadequada
  • Colesterol elevado
  • Consumo excessivo de bebidas alcoólicas
  • Diabetes
  • Depressão/estresse
  • Doenças cardíacas, especialmente as arritmias, que podem ser tratadas

Controlando esses fatores de risco, diminui muito a chance de ter um AVC.

Gostou desse artigo? Me segue nas redes sociais e se inscreve no canal do youtube para mais conteúdo desse tipo =D

Me segue nas redes sociais para mais dicas
Prof. Jairo Rocha – Enfermeiro Intensivista
Mestre e especialista em terapia intensiva
Instagram: @prof.jairorocha
Youtube: Prof. Jairo Rocha

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Saúde Intensiva
Sobre Saúde Intensiva
Uma coluna escrita pelo Prof. Jairo Rocha – Enfermeiro Intensivista Mestre e especialista em terapia intensiva - Instagram: @prof.jairorocha