Coroatá

Delegado fala sobre o caso do cão que foi atropelado no centro de Coroatá

Delegado fala sobre o caso do cão que foi atropelado no centro de Coroatá

Delegado disse que o motorista relatou ter se distraído com o celular no momento do acidente. Afirmou ainda que deveria ter voltado e prestado ajuda, mas que juridicamente a lei não prevê a tipificação culposa.


12/02/21 14:04 - Atualizado em 12/02/21 14:07

O delegado de Coroatá, Rafael Martins, conversou com a imprensa na manhã desta sexta-feira (12) dando detalhes sobre os procedimentos feitos em relação ao caso do cão que foi atropelado no centro da cidade.

“Foi uma conduta imoral, passar por cima do animal, não prestar ajuda. Moralmente falando não é uma conduta aceita pela sociedade, mas falando juridicamente a lei não prevê a tipificação culposa. Como foi comprovado em depoimento que o individuo estava distraído com celular no momento do acidente, e a lei de crimes ambientais não prever a tipificação culposa, neste caso, não há o crime. Infelizmente nossa lei deixa a desejar. Mas existe um projeto justamente para penalizar o indivíduo que atropela e não presta socorro”, concluiu o delegado.

Uma retratação que só piorou

No dia seguinte ao caso, um vídeo circulou nas redes sociais onde um homem que estava no veículo explicou o ocorrido como forma de retratação. Nas imagens que você pode ver abaixo, ele disse que o trânsito de Coroatá é igual da Índia e que por isso anda prestando atenção em todos os lugares, justamente essa preocupação que fez o motorista não enxergar o animal (imagina se não tivesse prestando atenção?). O fato é que, em depoimento na delegacia, e relevado pelo delegado local, o motorista afirmou que estava distraído no celular. Então a verdade você já sabe. Infelizmente, o caso vai ficar por isso mesmo, porque a lei é falha.

Vale destacar que muitos coroataenses são exemplos, repudiaram a atitude, e alguns até foram à delegacia formalizar uma queixa. Esperamos que as leis possam ser mais rigorosas com casos parecidos, até porque estar distraído com celular enquanto dirige é crime. Agora foi um pobre animal atropelado, amanhã pode ser um ser humano.



Comentário

PUBLICIDADE


Mais lidas








PUBLICIDADE

Enquete

Em um ano atípico, o carnaval 2021 vai fazer falta?

2016 © Todos os Direitos Reservados