Coroatá

Morre aos 60 anos, o advogado e escritor, Manoel Serrão

Morre aos 60 anos, o advogado e escritor, Manoel Serrão

Serrão mantinha residência na Avenida da Bandeira no centro de Coroatá. Ele deixa esposa e três filhos.


28/12/19 02:21 - Atualizado em 28/12/19 02:24

Faleceu nesta sexta-feira (27) o advogado Manoel Serrão da Silveira Lacerda. Ele teve um infarto fulminante em sua residência em São Luís.

Nascido na Santa Casa de Misericórdia, em São Luís/ MA, em 19 de abril de 1960, Serrão era descendente de espanhóis e portugueses judeus.

Formado pela Faculdade de Direito do Recife- UFPE, em 1985, considerado um dos cursos mais antigos do país, se destacou pela sua atuação na advocacia eleitoral, criminal, bancária e processual civil.

Em 30 anos de carreira profissional, foi professor de Direito Civil e Processo Civil na capital, com destaque pela sua atuação nos quadros jurídicos do Bradesco S/A, onde ocupou o cargo de diretor jurídico.

Mantinha residência na Avenida da Bandeira no centro de Coroatá. É irmão do radialista Idalgo Lacerda (1958- 2018).

Manoel Serrão, deixa esposa e três filhos.

Paralelamente à advocacia, exerceu a função de escritor, se destacando pela sua vasta produção de poesias, contos, crônicas e artigos.

Manoel Serrão, assim se definia:

“Em resumo, sou uma pessoa tranquila e reservada, que preza por segurança e paz. Tenho um forte senso de dever, que me dá um ar “sério” e a motivação de cumprir tarefas. Organizado e metódico ao fazer as coisas, geralmente consigo cumprir qualquer atividade ou tarefa que assumir na medida do possível. Sou uma pessoa muito leal, fiel, confiável, e que valorizo a honestidade e integridade ao extremo.

Nascido nas águas de abril sob o signo de áries.
Sou Água de cortar aço. Água de perdoar tudo.”

Segue abaixo, um trecho de uma de suas obras:

Terra em transe
Profetizavam que a fogo e
Brasa o mundo acabaria

Anunciava o cartaz do cinema “não perca em breve neste cinema – terra em transe- do Glaube Rocha [Cinema novo]
Intrigado, perguntei lhe?
Mamãe, a terra irá se acabar?
Em breve,
Muito em breve, meu filho
Como
Assim em breve!

Em 2000, meu filho
Em 2000, meu filho
E a profecia se fez

No dia 14 de janeiro de 2000
O mundo acabou
Deus, levou – a para sempre!

Foi breve
Foi brevíssimo
Foi exíguo demais o tempo.

(Manoel Serrão, São Luís- 20/10/2007)



Comentário

PUBLICIDADE


Mais lidas








PUBLICIDADE

Enquete

Você é a favor ou contra o isolamento social para combater o novo coronavírus?

2016 © Todos os Direitos Reservados