Domingo, 24 de Outubro de 2021
(99) 98535-1531
SouEmpreendedor SouEmpreendedor

Criadora da Lux Bebê é entrevistada na coluna Sou Empreendedor

03/11/2016 14h29 Atualizada há 5 anos
Por: Redação

A coroataense Marcia Letícia, de 27 anos, nunca se imaginou empreendedora, mas a vontade de estar sempre próxima da filha a fez buscar algo novo e hoje ela é proprietária da Lux Bebê, uma empresa de venda de bolsas maternidade personalizadas que já tem clientes em Portugal, Canadá e Estados Unidos.

Marcia é nossa entrevistada na coluna #SouEmpreendedor e vai contar como superou a “acomodação profissional” criando algo novo para o mercado local motivada pelo amor da filha. Confira:

Como funciona a empresa?

“Ela é virtual, no momento o site tá em construção e a previsão é para estar pronto em dezembro, porque ele é bem complexo. Atualmente as vendas são feitas pelo Instagram e pelo Facebook, são as duas redes sociais que estamos trabalhando. No insta tenho 22 k e no face temos mais de 4 mil seguidores, todos reais, tanto é que vendemos tudo por lá. Temos um plano de montar uma loja física aqui em Coroatá, com bolsas de pronta entrega, sem o nome do bebê e sem deixar de atender o Brasil todo, claro, porque o mercado é mais amplo”.

Como surgiu a ideia de vender bolsas personalizadas?

“Assim que eu engravidei uma amiga me apresentou um site. Eu olhei e comprei uma bolsa personalizada, eu achei linda, nossa, mas até então não tinha nenhuma ideia de trabalhar com isso. Eu tive minha filha, e com poucos meses já tinha que voltar a trabalhar e deixar ela em casa. Foi quando disse que não faria isso. Comecei a procurar alguma coisa pra mim trabalhar e que ficasse em casa. Vi várias ideias, mas nenhuma que me identificasse, até que olhei para minha bolsa e disse: será como que faz para vender? Tentei alguns contatos na internet até que consegui. Minha ideia era encontrar algo que não necessitasse de um investimento inicial, porque eu não tinha, e a venda de bolsas personalizadas foi ótima. Então a ideia nasceu assim, de não ter que deixar minha filha em casa, a necessidade me fez procurar algo e acredito que aproveitei bem a oportunidade”.

O diferencial da loja?

“Na internet tem muita gente vendendo bolsas, geralmente quando as mulheres vão ter um filho elas tem o sonho de ter tudo bem lindo e se for personalizado melhor ainda, além da qualidade do produto, acredito que isso seja nosso diferencial. Outra coisa é sempre estar atentos aos nossos clientes, respondemos a todos da melhor maneira possível”.

Como é o dia-a-dia de vocês na empresa?

“Eu acordo bem cedo, vejo as mensagens dos clientes, respondo as dúvidas e faço publicações no facebook e no instagram. Em média atendemos 15 pessoas diariamente, ai dependendo da demanda eu divido as tarefas com o Francisco, meu marido. A gente prepara todo o material para divulgação, fotos, textos, tudo bem direto e objetivo. É sempre uma correria, preparando o material para ser enviado. Nossa rotina é basicamente essa”.

Vocês já venderam para clientes nos Estados Unidos, Canadá, Portugal, imagino que não foi sempre assim, claro, quais as dificuldades do início?

“Sem dúvida foi conquistar a confiança das pessoas. No início sempre pediam o CNPJ para ver se a empresa era séria, por isso regularizamos tudo logo cedo e faziam perguntas, o que é normal, as pessoas não saem comprando tudo que tem na internet. Começamos a marcar no insta nossos primeiros clientes, porque isso era importante, quando você ver que alguém comprou e deu tudo certo, ela se sente segura pra comprar também. Então ganhar a confiança foi muito difícil, além de forma os pedidos mínimos. Outra coisa foi que gastamos muito com publicidade, mas foi bom porque aprendemos onde é o melhor caminho. Tem coisas que você gasta muito e não tem o retorno que esperava e outras que o investimento é pouquíssimo e o retorno acaba sendo bastante satisfatório”.

Um conselho para quem quer trabalhar com vendas na internet?

“Não apenas na internet, mas creio que em quase todo negócio, é preciso ser paciente. Sinceramente, no segundo mês eu fiquei bastante desanimada. As vendas eram poucas e estava muito preocupada, mas o Francisco sempre dizia para ter mais calma, que as pessoas precisavam entender que a empresa era confiável. Além de manter a calma, tem que persistir bastante, é um dos segredos e, claro, em se tratando de loja virtual o marketing é muito importante”.

Sobre os novos projetos?

“De início estamos focados na expansão do negócio com a construção do site. Será outro canal de pedidos e acreditamos ser necessário. E o próximo passo é a loja física aqui em Coroatá. As pessoas aqui não veem que temos empresa, que tá sendo um sucesso, diferente da loja física. Temos esse plano para divulgar aqui também, trazendo outros produtos”.

Uma mensagem para as pessoas que tem o desejo de empreender.

“A nossa realidade local não é um empecilho, as pessoas ao invés de ficar lamentando a mudança de gestão, por exemplo, ou que a cidade é pequena, não tem oportunidade, deveriam procurar mudar a economia, criar coisas novas. Se você não pode mudar a cidade, mas mude sua realidade. Eu mudei a minha pensando com a cabeça fora da caixa, tive uma visão maior, porque sabia que poderia vendar para outros lugares. Não se lamente, tende mudar, as oportunidades normalmente aparecem nesses momentos difíceis”.


>> Leia outras entrevistas no #SouEmpreendedor

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.